A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sentadas e área interna

O Projeto Conexão Mata Atlântica acaba de aportar em Porciúncula para recuperar e proteger,inicialmente, propriedades que compõem a microbacia do Ouro, no terceiro distrito.

O Conexão Mata Atlântica é um projeto de investimentos em ações de proteção, recuperação e conversão produtiva (proteção de matas e nascentes; recuperação florestal de áreas e implantação de sistemas agroflorestais), financiado com recursos do GEF (Global Environment Facility), tendo o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como agência implementadora e a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (FINATEC) como órgão executor dos recursos, em parceria com os governos estaduais do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

No dia 23 de fevereiro, a equipe técnica da fundação executora dos recursos e projeto – FINATEC – esteve em Porciúncula apresentando o projeto para autoridades locais e presidentes das associações de produtores rurais das comunidades que compõem a microbacia do Ouro. No Estado do Rio, apenas seis municípios apresentaram melhor potencial para início do projeto, e na região, apenas propriedades de Porciúncula e Varre-Sai foram contempladas.

De acordo com o biólogo Gilberto Pereira, da Finatec, na microbacia do Ouro cem proprietários podem receber recursos para recuperação e manutenção da área que compõe a Mata Atlântica, o equivalente a 19 porcento das terras.

O projeto, com duração prevista até 2021, visa beneficiar aqueles que prestam serviços ambientais e geram benefícios para a sociedade. “Este é um grande projeto de recursos internacionais de apoio aos proprietários dentro deste contexto de crise ambiental. O Conexão Mata Atlântica apresenta a viabilidade de mudanças com ótica na produção, ou seja, produzir mais com mais conservação”, explica o biólogo Gilberto Pereira.

O proprietário Samuel Menin, produtor de café na microbacia do Ouro, ficou empolgado. “Este projeto veio ao encontro do meu modo de pensar. Já trabalho para melhorar o ambiente e sei que tenho potencial para melhorar mais. Os recursos são muito bem vindos, pois a minha família vive, trabalha e se beneficia da propriedade rural. Preciso cuidar muito bem dela, porque significa qualidade de vida para a minha família e para toda a sociedade”, conclui o proprietário, que tem quatro nascentes em suas terras.

Para que os proprietários recebam os recursos de preservação ambiental, será necessário apresentar um projeto, que pode ser desenvolvido junto à equipe técnica da Finatec, para que esteja dentro das regras do Edital de participação. Os técnicos vão estar durante o mês de março no escritório da Coopercanol em Varre-Sai para dar informações e ajudar os proprietários dos dois municípios.

Portal Porciúncula / Rosimere Ferreira

Anúncios