Porciúncula sedia Curso de Capacitação para agentes de saúde da Região Noroeste

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, sentado, sala de estar e área interna

A Secretaria de Saúde de Porciúncula em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels – Lacen-RJ – realizam, de 4 a 8 de novembro, na Câmara Municipal, o Curso de Capacitação do Manejo de Vetores das Leishmanioses. O evento tem o objetivo de capacitar os agentes para que adquiriram o conhecimento necessário para lidar com os vetores e disseminar as formas de prevenção e combate.

O Curso, realizado para os 14 municípios da Região Noroeste, está sendo ministrado pela equipe da Gerência de Pesquisa em Antropozoonoses (GPA) do Lacen, os técnicos em Entomologia, Helena Regina dos Santos, Jonathan Saboya e a bióloga Maria Cristina M. C. Oliveira. “Damos ênfase na prevenção das leishmanioses, qualificando os agentes para conhecer e identificar os vetores e trabalhar em seu combate”, disse a bióloga.

A leishmaniose é uma doença transmitida pelo flebotomíneo mosquito-palha (Lutzomyia longipalpis), que, ao picar o hospedeiro, introduz em sua circulação o protozoário Leishmania chagasi. Os sintomas são, febre intermitente, fraqueza, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e do fígado, comprometimento da medula óssea, problemas respiratórios e diarreia.

De acordo com o secretário de Saúde, Marco Avelar, devido ao eficiente trabalho realizado em Porciúncula nas últimas décadas, a leishmaniose está controlada no município, sem registros de casos. E para manter essa situação é importante continuar no trabalho de prevenção. “Toda a técnica adquirida para a prevenção e combate do mosquito deve ser colocada em prática, disseminada e transmitida para a sociedade através de medidas educativas”, disse o secretário..

O Curso terá uma carga horária de 40 horas, com atividades teóricas, laboratoriais e pesquisa de campo. Segundo Wagner Augusto Tavares, coordenador do Departamento de Vigilância Ambiental de Porciúncula, “o Curso está sendo de grande valia, pois além das aulas teóricas, iremos a campo instalar armadilhas de captura de flebotomíneos e também fazer análises dos insetos capturados para diagnóstico entomológico”, disse Wagner.

Fabiano Júnior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s